Agricultura biossalina e suas potencialidades

Missão de uma equipa de especialistas em agricultura biossalina, preservação do solo, agro-finanças e áreas afins em Cabo Verde

Após 3 dias de visitas à ilha de Santiago, uma equipa de especialistas em agricultura biossalina, preservação do solo, agro-finanças e áreas afins, terminou a missão com a realização de um workshop sobre “Agricultura Biossalina e as suas potencialidades”, com o objetivo de recolher informações para se desenvolver um projeto, sugerindo a implementação de soluções agrícolas sustentáveis integradas apropriadas para as comunidades rurais em Cabo Verde.

O workshop foi promovido pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), com apoio do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA), e contou com os especialistas do Centro Internacional para Agricultura Biosalina (ICBA), OCP-Foundation, Universidade UM6P de Marrocos, reunindo mais de 30 técnicos e especialistas nacionais.

A cerimónia de abertura foi presidida pelo Ministro da Agricultura e Ambiente, Sr. Gilberto Silva, que adiantou que todos os esforços estão a ser feitos para garantir que o futuro projeto em agricultura biossalina possa ser implementado com sucesso e que Cabo Verde tire bastante proveito desta parceria profícua. O especialista sénior em solo e água da FAO, Sr. Jean Ruhiza Boroto, sugere que “usemos a agricultura como uma grande oportunidade para se desenvolver o país” e diz que a missão “está aqui para garantir que produzamos o máximo que conseguirmos, não só na ilha de Santiago mas em todo Cabo verde, como forma de impulsionar e dinamizar o setor da agricultura biossalina”. Prevê-se iniciar a implementação deste projeto em julho de 2020.

A missão surgiu na sequência do Fórum Mundial do Quadro Global para a Escassez de Água na Agricultura (WASAG), realizado na Praia em março de 2019, e visa examinar as oportunidades e as opções inovadoras para melhorar as práticas agrícolas (através da dessalinização, uso de água salobra, culturas halófitas, energia solar para dessalinização e bombeamento de águas subterrâneas, etc.).

Escrito por
Author
Rui Almeida Santos
Oficial de Comunicação
FAO
Rui de Almeida Santos, Oficial de Comunicação FAO
Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
FAO
Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura