Cabo Verde COVID ZERO: jovens apontam comunicação como fundamental para a prevenção a nível comunitário

Jovens e líderes comunitários não têm dúvidas sobre o seu papel na luta contra COVID-19.

São jovens e líderes nas suas comunidades. Não têm dúvidas em de que os jovens são fundamentais para estancar a progressão da pandemia causada pelo novo corona vírus. Mas, para tal, uma comunicação adequada a cada contexto é fundamental. Mostram-se cem por cento engajados e para eles, é “um por todos, todos pelo zero”.

Gerson Pereira é presidente da Associação Kelém em Desenvolvimento, da Achada de Santo António. Foi um dos participantes da ação de capacitação de jovens de diferentes bairros dos municípios da Praia, Sal e Santa Cruz, sobre técnicas de comunicação, informação e sensibilização para pares e comunidade em geral, promovida pelo Instituto da Desporto e da Juventude, em parceria com o Escritório Conjunto do PNUD, UNICEF, UNFPA e a OMS.

Uma formação que, segundo o jovem, foi fundamental para a sua atuação, na sua comunidade, relativamente a prevenção e combate à Covid19, particularmente a temática da comunicação de risco. 

A formação foi muito importante para entendermos a importância do voluntariado, que papel temos nós os jovens nesse combate e também aprendemos muito sobre a comunicação de risco, a melhor forma de abordagem, que condições devemos levar em conta para fazermos a melhor abordagem e perfeita comunicação na comunidade.

Questionado sobre como obter os melhores resultados na luta contra a covid19, Gerson diz que perceber a dinâmica de cada comunidade é fundamental.

Gerson Pereira é presidente da Associação Kelém em Desenvolvimento, da Achada de Santo António, Praia

É muito importante percebermos como cada comunidade funciona, qual a melhor hora para abordar as pessoas. Levar em conta as caraterísticas dos bairros e dos moradores são pontos chave para ajudar a prevenir a transmissão”, explica o líder comunitário, para quem os jovens têm um papel fundamental no sucesso da campanha, bastando se consciencializarem sobre o seu papel.

“Se houver essa consciência, de que sendo os principais transmissores do vírus são também os principais agentes da mudança, com certeza que poderemos vencer. O que é mais importante é que tenham comportamentos mais saudáveis”, finaliza.

Por sua vez, José Jorge Gonçalves, da Associação Comunitária de Achada Mato, na Praia, diz que com a formação, sente-se preparado para fazer a sua parte, na sua comunidade.

A formação serviu para que entendesse o espírito do voluntariado, para obter informações que levarei para a comunidade. Darei o máximo para que os moradores mudem de atitude e para que os jovens se engajem mais e mudem de comportamento para que possamos atingir o zero”.

Também Jose Jorge elege a comunicação eficaz e assertiva como a melhor ferramenta para engajar os moradores, particularmente os jovens.

José Jorge Gonçalves, da Associação Comunitária de Achada Mato, Praia

Com a formação, aprendi que para termos o engajamento da comunidade, a forma de comunicar é importante. Muitas vezes não atingimos os nossos objetivos, dado a forma como nos comunicamos com as pessoas”, conclui o jovem líder.

A campanha de informação e sensibilização “Cabo Verde COVID ZERO - Um por todos, todos pelo zero”, destinada à população em geral, com forte engajamento dos jovens na qualidade de agentes e promotores da mudança que irão intervir  nas suas comunidades, é uma iniciativa promovida pelo Governo de Cabo Verde, através do Instituto do Desporto e da Juventude, o Escritório Conjunto PNUD, UNFPA e UNICEF em estreita parceria com Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP), Camaras Municipais e Associações Comunitárias e juvenis.

 

Escrito por
Autor
Natacha Magalhães
Analista de Comunicação do Escritório Conjunto do PNUD/UNFPA/UNICEF
PNUD
Analista Comunicação JO
Entidades da ONU envolvidas nesta atividade
PNUD
Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento
UNFPA
Fundo das Nações Unidas para a População
UNICEF
Fundo das Nações Unidas para a Infância